Presseurop

by Miguel Romão

Acabou o Presseurop. É pena. Mais: é mau sinal. Um projecto bonito, ao melhor espírito europeu, que em torno dos melhores artigos da imprensa de referência europeia, reunia pessoas de outros tantos países, dando o seu ponto de vista na sua língua ou emprestada sobre o seu país ou outro – mas sempre sobre a sua Europa, a sua comunidade. Agora, por motivos financeiros, encerrou-se um projecto recente e aparentemente pouco dispendioso.

O presseurop era um dos únicos sites noticiosos que lia com frequência. Ali encontrava pontos de vista diferentes, mais esfriados, mais pensados, sobre assuntos que muitas vezes nem se relacionavam directamente com quem escrevia sobre eles. Foi ali, num site europeu, que muito fui aprendendo sobre outros grandes blocos políticos – o do leste, áfrica, américas e china – e como se relacionam com a UE. De uma forma ou de outra, assistir ao debate das questões mais polémicas, de cada país e do conjunto, acabava por unir os leitores, por obriga-los a pensar em conjunto. Não raras vezes, geravam-se discussões interessantes em 3 ou 4 línguas diferentes nas caixas de comentários. Fosse o Norte conta o Sul, fosse os europeus contra os imigrantes. Fosse a UE contra o mundo. Para mim, esse era o verdadeiro espírito europeu.

Pena que uma presumível europeísta – a vice-presidente da Comissão não tenha visto o mesmo valor.

Anúncios