O fim do idealismo

by Miguel Romão

Após o choque de expectativas vem o fim do idealismo. Aceitamos que ser professor é preparar as aulas e corrigir testes sem nunca sentir o futuro das próximas gerações nas mãos. Ser advogado é escrever e analisar diplomas e contratos deixando a justiça na prateleira. Ser médico receitar anti-depressivos e fazer pensos adiando o salvar-vidas para um futuro distante. É a morte dos sonhos. É a vitória do conformismo perante a realidade, tal como ela é.

Anúncios